Arquidiocese de Passo Fundo
 
 
Arquidiocese
 
10.Jun - Cléber Vieira da Silva será ordenado Diácono
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Cléber Vieira da Silva será ordenado Diácono

 

    Já estamos nos aproximando de sua ordenação diaconal, com a Graça de Deus. Como está o coração neste momento? 

Acredito que o grande sentido de viver este processo de assumir a vocação, brota justamente do chamado de Deus e da resposta do coração humano. Por isso, acredito que o coração, como este lugar onde são gerados os projetos, bate mais forte neste momento que se aproxima. Pois, é o momento da resposta concreta ao chamado de Deus, e o coração fica alegre, mas também preocupado, pelos desafios da missão, mas isto é importante, pois ajuda a qualificar a busca de responder a cada dia melhor ao chamado.  

  

  Quando surgiu o desejo de ser padre? Algum fato específico o motivou para o caminho vocacional?  

O chamado vocacional, se deu através de uma bonita provocação feita pelo Pe. Adalíbio Barth, pároco na Paróquia São José de Ernestina. Na época quando fomos a Paróquia para realizar a partilha do dízimo, ela me questionou acerca da minha vocação. No entanto, eu não dei uma resposta no momento, pois não sabia muito o que dizer. Ele me deu um material vocacional para ler em casa e assim se fez o primeiro contato com o chamado vocacional. Todavia, eu me questionava acerca deste convite, refletindo com minha família, em outro momento então decidi aceitar o convite para conhecer o Seminário Maior Nossa Senhora Aparecida. Quando conheci, e percebi um pouco da caminhada e da missão do ser Padre, me despertou um encantamento maior ainda. E assim, foi se desenvolvendo o processo vocacional.  

 

    Como foi esse momento de decisão em seu coração? E sua família, quando soube que iria trilhar este caminho, qual foi a reação?  

 

Como já citei acima, o processo foi lento e aos poucos. Quando entrei no seminário, fui motivado pela minha família que me deu o apoio necessário. Lembro como se fosse hoje meu pai e minha mãe dizendo: “Vai lá no seminário, se você não gostar, nós estamos aqui lhe esperando”. Por isso, sempre digo que no caminho da vocação são necessários a liberdade e o apoio da família, na época, se eles tivessem dito para não ir, ou que não achavam uma boa ideia, eu não teria ido, mas com a graça de Deus recebi o apoio que necessitava. Minha irmã, também teve seu papel muito importante neste momento inicial, me incentivou também a ir conhecer o seminário. E também, em alguns momentos me provocou a pensar se era realmente este caminho que eu queria seguir, dizendo que “se eu não estivesse feliz, podia também deixar a caminhada que me apoiariam”. Com certeza estes momentos ajudaram muito a olhar para o caminho que estava seguindo.  

  

   Quando ingressou no seminário? Conte-nos um pouco sobre esse período de estudos. 

O meu ingresso no seminário foi no dia 12 de janeiro de 2017. Logo após a romaria vocacional em São Domingos do Sul. Gostei muito do testemunho dado por tantas pessoas rezando pelas vocações na romaria, e ali decidi que daria este sim para iniciar a caminhada no seminário. No início desta caminhada também conheci o Alexandre Kovaleski Fochi, que também entrou no seminário alguns dias mais tarde. Iniciamos juntos a caminhada no IFIBE, e posteriormente fomos transferidos para a UPF para terminar os estudos. Por volta de um ano e meio de caminhada no seminário, então o Alexandre resolver dar um novo rumo a sua vocação e decidiu por sair do seminário, mas foi um irmão que a vida me deu. Eu segui a caminhada, conclui os estudos de Filosofia. O próximo passo então era a Faculdade de Teologia, na ITEPA – Faculdades. Também foi um período muito frutuoso, pois ali, pude reafirmar a fé, diante dos questionamentos da vida e caminhada vocacional. A teologia me ajudou a compreender o sentido mais profundo da missão, tendo em vista, aquilo que Jesus testemunhou, o Projeto do Reino de Deus. 

 

  Faça uma reflexão sobre o lema escolhido para sua ordenação 

“Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua Justiça” (Mt 6,33). O lema foi escolhido, justamente pelo encantamento, de buscar um reino de justiça. Ao olhar para a caminhada que Jesus realizou em nosso meio, vivendo como verdadeiro Deus e verdadeiro homem, nos ensinou, muitas coisas. Jesus que passa fazendo o bem, deixa-nos também uma missão, de continuarmos a obra por ele iniciada. Então olhando para as práticas de Jesus, podemos perceber o caminho a ser seguido, quais as preocupações que devemos ter na missão. Jesus nos mostra que devemos nos preocupar com a vida, pois ele como Bom Pastor, vem para que todos tenham vida, e dá a vida pelas suas ovelhas. Neste sentido, buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, também está ligado fortemente com a vida, pois o reino de Deus é um reino em que existe vida digna, onde todos são irmãos, não havendo nenhum tipo de opressão, mas sim, fraternidade. Este são alguns aspectos do reino, e por isto escolho este lema, para que em minha caminhada e minha missão, sempre lembre que em primeiro lugar vem o reino de Deus. Trabalhar para e pelo reino de Deus, e não reinados pessoais. Por isso, muito me ajudou este lema, em perceber que o caminho a ser trilhado, é o caminho do reino de Deus e a sua justiça.  

 

     Em que Paróquia está desenvolvendo sua ação pastoral atualmente? Como está sendo a experiência?  

Meu estágio pastoral está sendo realizado na Paróquia Nosso Senhor Bom Jesus – Carazinho. Está sendo uma experiência muito importante e animadora. Iniciei esta nova etapa na caminhada no dia primeiro de fevereiro deste ano de 2024. A comunidade me acolheu muito bem, e isto dá uma maior tranquilidade e alegria em realizar esta etapa da caminhada. O Padre Mateus que acompanha este processo, também me acolheu muito bem e me ajuda muito a caminhar e ser sujeito da ação pastoral que realizo. Está sendo assim, um momento de bastante alegria junto a toda a comunidade da Paróquia Nosso Senhor Bom Jesus. Destaco ainda que este período do estágio pastoral é muito importante para irmos percebendo como é no dia a dia a vida de comunidade e também as alegrias e os desafios do ser padre no dia a dia.  

 

    O que espera do diaconato como preparação para o sacerdócio? 

Acerca do diaconato espero realizar uma boa missão junto as comunidades, tendo por ponto principal o serviço. Acredito que seja um momento muito importante para intensificar o estar junto ao povo de Deus, ouvindo, e proclamando aquilo que Deus nos convida. Mas também vejo como um tempo favorável para aprofundar mais o ato de configurar-se ao Cristo, e trabalhar no cuidado do seu povo.  

 

A Ordenação Diaconal de Cléber acontecerá no dia 21 de junho, as 19h na Paróquia Nosso Senhor Bom Jesus – Carazinho.

 


Fonte: ASCOM - Elisabete Gambatto

Indique a um amigo
 
CONTATO
Cúria Metropolitana
Rua Coronel Chicuta, 436 - 4º Andar | sala 401 Edifício Nossa Senhora Aparecida - Centro - 99010-051 | Passo Fundo/RS
(54) 3045-9240

Centro de Pastoral
Rua Coronel Chicuta, 436 - 4º Andar | sala 410 Edifício Nossa Senhora Aparecida - Centro - 99010-051 | Passo Fundo/RS
(54) 3045-9204
 
 
 

Copyright @ 2024 - Arquidiocese de Passo Fundo. Todos os direitos reservados.