Arquidiocese de Passo Fundo
 
 
FORMAÇÕES
02.Mai - Sinodalidade e Bíblia
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Sinodalidade e Bíblia

Pe. Ademir Rubini, Diocese de Chapecó[1].


A Igreja vive um tempo de graça e, também, de grandes desafios. A provocação do Papa Francisco, para aprofundarmos a reflexão e a prática da sinodalidade, proporciona rever o modo da Igreja ser e agir. Em sintonia com o Concílio Vaticano II a Igreja é chamada a ser sinodal. O resgate da compreensão da Igreja como “povo de Deus”, coloca o desafio da participação de todos os fiéis, cuja missão é, não somente de acatar as decisões “que vem de cima”, mas também de decidir os rumos por onde a Igreja precisa caminhar. Se a Igreja é povo de Deus, é como povo que ela precisa caminhar. Não se isolar ou separar; nem se elitizar e se quebrar em blocos. Pelo batismo, cada fiel recebe o Espírito Santo e participa da missão de discernir os caminhos da fé e da construção do Reino.


A experiência da Igreja primitiva, relatada nos Atos dos Apóstolos, expressa profunda sinodalidade. No pentecostes, “cada qual os ouvia falar em seu próprio idioma” (At 2,6). A representatividade “de todas as nações que há debaixo do céu” (At 2,5), restaura a unidade perdida em Babel (Gn 11,1-9), constituindo o novo povo de Deus, na diversidade de povos e culturas, cada qual expressando a mesma fé a partir de sua realidade. Todos tinham voz e vez, guiados pelo Espírito Santo.


A unidade da Igreja, que caminha junto, é visível também nos dois retratos da primeira comunidade cristã, apresentados por Lucas (At 2,42-47; 4,32-35). O termo “koinonia”, traduzido por “comunhão” (At 2,42) é muito significativo, o qual exprime e reforça a união dos corações, em torno do Evangelho recebido de Jesus Cristo, com todos os bens espirituais que traz consigo. O testemunho da fé e o envolvimento na dinâmica da evangelização produzia muitos frutos, e o número dos cristãos aumentava a cada dia (At 2,47). A unidade dos cristãos, que fazia a Igreja ter “um só coração e uma só alma” (At 4,32), demonstra que todos tinham os olhos e os pés na mesma direção.


No momento em que nosso Papa convoca para ampla participação da Igreja no próximo Sínodo, em que justamente o tema é sobre a sinodalidade, vemos que isso se apresenta, não como mais um tema, mas trata da essência da Igreja. O que diz respeito a todos, por todos deve ser discutido, num espírito de comunhão. Talvez seja um passo definitivo, que retoma nova dinâmica no jeito de conduzir a Igreja, caminhando juntos, ou melhor, fazendo o caminho juntos.


A meta de construir juntos o caminho, a partir da diversidade de contextos, é tarefa árdua, porém necessária, tendo como meta a vivência do Evangelho. Exige educar-se para a sensibilidade de buscar a unidade na diversidade, revendo as ações que já existem e propor novo jeito de viver a missão. Cada diocese é uma porção do povo de Deus, e como tal, é a Igreja na sua inteireza. É preciso respeitar a organização de cada diocese, chamada a construir seu caminho de vivência do Evangelho, como sinal do Reino de Deus, sem perder a comunhão com a Igreja Universal.




[1] Possui graduação em Ciências – Faculdades Reunidas de Admin. Ciências Contábeis e Econômicas de Palmas (1994), graduação em Filosofia – B pela Universidade de Passo Fundo (2008), graduação em Teologia – B pelo Instituto de Teologia e Pastoral (1999), mestrado em Teologia pela Escola Superior de Teologia (2011) e doutorado em Teologia pela Escola Superior de Teologia (2015). É professor do Instituto de Teologia e Pastoral. Tem experiência na área de Teologia, com ênfase em Teologia Bíblica


 


Itepa Faculdades

Itepa Faculdades

Artigos escritos pela equipe do Itepa Faculdades.

Indique a um amigo
 
CONTATO
Cúria Metropolitana
Rua Coronel Chicuta, 436 - 4º Andar | Edifício Nossa Senhora Aparecida - Centro - 99010-051 | Passo Fundo/RS
(54) 3045-9240

Centro de Pastoral
Rua Coronel Chicuta, 436 - 2º Andar | Edifício Nossa Senhora Aparecida - Centro - 99010-051 | Passo Fundo/RS
(54) 3045-9204
 
 
 

Copyright @ 2022 - Arquidiocese de Passo Fundo. Todos os direitos reservados.