Arquidiocese de Passo Fundo
 
 
FORMAÇÕES
01.Abr - Cartas para nossa santidade!
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Cartas para nossa santidade!


Já recebeste uma carta? No contexto contemporâneo, marcado pela tecnologia, pelas relações virtuais, especialmente, através das redes sociais, poderá soar estranho ou mesmo antiquado a interrogação sobre a recepção e/ou envio de cartas. Desde os tempos mais antigos, enviar e receber cartas é característica ímpar às relações humanas. Às cartas atribuía-se um selo, como sinal de autenticidade. Reconhecendo-se o selo, ganha identidade a escrita e valor significante, ao interlocutor(a), as palavras expressas.   


Karol Józef Wojtyła, reconhecido mundialmente como João Paulo II, hoje, santo da Igreja Católica, escrevera uma carta apostólica, durante seu sétimo ano de pontificado, endereçada aos jovens e às jovens – Dilecti Amici. A carta, assinada em 31 de março de 1985, fora compartilhada por João Paulo II, no domingo de ramos da paixão do Senhor, por razão do Ano Internacional da Juventude, proclamado pela Organização das Nações Unidas (ONU). “Queridos amigos” – escreveu o pontífice – “em vocês está a esperança!” Estejam sempre prontos para dar razão da vossa esperança a quem vos pedir (1 Pd 3,15).


O grupo de jovens da comunidade, a qual sou responsável, escreveu-me uma carta memorando também, nas primeiras linhas, a sagrada escritura: “pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimentos, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes tornando-vos modelos do rebanho. Ora, logo que o supremo Pastor aparecer, vocês vão receber a gloriosa coroa que não murcha” (1 Pd 5,2-4). Compartilhando bênçãos divinas e desejando “muitos anos de caminhada”, as jovens e os jovens do Curso de Liderança Juvenil assinaram a carta, datada de 21 de março de 2019. Guardo-a, carinhosamente, entre as páginas da Bíblia.   


Jorge Mario Bergoglio, latino-americano, atual pontífice, reconhecido por palavras e atitudes, escreve seu caminho enquanto apóstolo de Cristo, sob o selo de Francisco. Redigiu, coincidentemente, no sétimo ano de seu pontificado, aos jovens, uma exortação apostólica pós-sinodal. Christus Vivit, destinada às jovens, aos jovens e para todo povo de Deus, fora assinada em 25 de março de 2019, em Loreto, na Solenidade da Anunciação do Senhor. Francisco pondera: “é verdade que o mundo digital pode te colocar diante do risco de se fechar, do isolamento e do prazer vazio. Mas não esqueças que há jovens que também nesses âmbitos são criativos e, às vezes, geniais. É o que fazia o jovem venerável Carlos Acutis” (ChV, n. 104). 


Há ultrapassados 365 dias, isto é, há mais de um ano, fazemos a dolorosa experiência mundial da via crucis através da pandemia. A criatividade tem trabalho constante dentre nós. As mídias e redes virtuais conectam-nos, apesar da clausura social e eclesial. Haverá esperança? O caminhar cristão é ladrilhado de espinhos e esperanças, basta-nos recordar as bem-aventuranças (Mt 5, 1-12) e dar sentido profundo à vida. Carlos Acutis, nascido em Londres, em 03 de maio de 1991, e prematuramente falecido, aos 15 anos, em Monza, no dia 12 de outubro de 2006, em decorrência das chagas da leucemia, fora exemplo de seguimento ao Evangelho e apostolado juvenil através da comunicação social. Acutis, jovem de calça jeans e tênis, beatificado por Francisco, em Assis, na Itália, no dia 10 de outubro de 2020, inspira-nos à versatilidade do anúncio na práxis pastoral.


  Seguindo o rool das coincidências, a coordenação arquidiocesana de jovens da Pastoral da Juventude, endereçou uma carta, via online, na qual expressa: “diante do cenário instaurado pela pandemia do Covid-19 desde o início de 2020, sentimos muito a falta da presença um do outro, do toque, do olhar, dos encontros e tudo o mais que faz memória ao grupo de base da Pastoral da Juventude. Tivemos que adaptar o planejamento anual pensado para esse ano atípico de 2020 que continua agora em 2021. Porém, agora, mais do que nunca, é necessário reafirmar nosso compromisso de amor com a vida da juventude: a PJ quer viver!”


Como um chamado da juventude, por inspiração da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021, os/as jovens questionam e motivam à disposição e à participação de um processo dialogal de ação e responsabilidade, entrega e afeto capaz de construir um novo caminho à seguir, como via alternativa. Assinada, em 09 de março de 2021, a carta conclui, exortando: “para que o egoísmo, por conta do isolamento social, não ganhe força, amar é a única alternativa!”  


Escrevo-te, nesta semana santa, amigo(a) leitor(a), jovem e adulto(a), adolescente e ancião(ã), chamado(a) à santidade no mundo atual. “Não deixes que te roubem a esperança e a alegria” (ChV, n. 107) ao trilhar as estações contemporâneas de calvário, com suas cruzes, açoites, cusparadas, bofetões e incontáveis situações de injustiça, abraçadas por mecanismos que agenciam morte. “Atreva-te a ser mais, porque teu ser importa mais que qualquer coisa [...]. Invoca o Espírito Santo e caminha com confiança para a grande meta: a santidade” (ChV, n. 107).


Podes vestir jeans, tênis, camiseta e moletom; bombacha, vestido, botas/alpargatas, lenços e pala ou, se preciso for, caminhar a pés descalços neste chão sagrado (Ex 3,5), mas para que “cumpra a finalidade que tem na jornada de tua vida, deve ser um tempo de entrega generosa, de oferta sincera, de sacrifícios que doem, mas que nos tornam fecundos” (ChV, n. 108). Caminhamos juntos(as), pois, “a santificação é um caminho comunitário” (GeE, n. 141) capaz de superar as feridas do distanciamento.


Amadas(os) jovens, ao reconhecer e compreender que “o isolamento os debilita e os expõe aos piores males do nosso tempo” (ChV, n.110), reacendeis o “Fogo Novo” à comunidade cristã, através do(s) grupo(s) de jovens. A comunidade, portanto, é convidada, chamada a construir na alteridade de dons, um “espaço teologal onde se pode experimentar a presença mística do Senhor ressuscitado” (GeE, n. 142), na Via Lucis da Civilização do Amor!  



Padre Leandro de Mello

Padre Leandro de Mello

Pároco na paróquia São Francisco de Assis e Assessor da Pastoral da Juventude

Indique a um amigo
 
CONTATO
Cúria Metropolitana
Rua Coronel Chicuta, 436 - 4º Andar | Edifício Nossa Senhora Aparecida - Centro - 99010-051 | Passo Fundo/RS
(54) 3045-9240

Centro de Pastoral
Rua Coronel Chicuta, 436 - 2º Andar | Edifício Nossa Senhora Aparecida - Centro - 99010-051 | Passo Fundo/RS
(54) 3045-9204
 
 
 

Copyright @ 2021 - Arquidiocese de Passo Fundo. Todos os direitos reservados.