Outubro, mês missionário, provoca para a missão que liberta

A Igreja nasceu “em saída”, diz o Papa Francisco, na sua Mensagem para o Dia Mundial das Missões/ 2014, publicada na solenidade de Pentecostes e celebrado este ano nos dias 18 e 19 de outubro, mês missionário por excelência.

Na mensagem o Santo Padre afirma que, ainda hoje, há muita gente que não conhece Jesus Cristo. Por isso, é urgente a missão ad gentes, isto é, às nações, na qual todos os membros da Igreja são chamados a participar. A Igreja é por sua natureza, missionária, que nas palavras de Francisco, significa, A Igreja nasceu “em saída”! É sobre a alegria de Jesus e dos discípulos missionários que ele propõe uma reflexão a partir do evangelho de Lucas. O Senhor enviou dois a dois os setenta e dois discípulos a anunciar nas cidades e aldeias, que o Reino de Deus estava próximo, preparando, assim as pessoas para o encontro com o Jesus. Cumprida esta missão, os discípulos regressaram cheios de alegria. A alegria é um traço dominante desta inesquecível experiência missionária. O Pai é a fonte da alegria. O Filho é a sua manifestação e o Espírito Santo o animador. A alegria do evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento.

O pontífice chama a atenção para as consequências da busca desordenada de bens materiais dizendo que, o grande perigo da atualidade com suas múltiplas ofertas de consumo é uma tristeza individualista que brota do coração comodista e mesquinho, da busca desordenada de prazeres superficiais...  E continua definindo que, discípulos são todos os que se deixam conquistar mais e mais pelo amor de Jesus e marcar pelo fogo da paixão pelo Reino de Deus. Todos são chamados a alimentar a alegria da evangelização que brota do encontro com Cristo e da partilha com os pobres. Por isso, encorajo as comunidades paroquiais, as associações e os grupos a viverem uma intensa vida fraterna, fundada no amor a Jesus e atenta às necessidades dos mais carentes. O dia Mundial das Missões é um momento propício para reavivar o desejo e o dever moral de participar da missão ad gentes. A contribuição monetária pessoal é sinal de oferta de si mesmo, primeiro ao Senhor e depois aos irmãos...

Queridos irmãos e irmãs, dirijo o meu pensamento a todas as Igrejas locais. Não nos deixemos roubar a alegria da evangelização. Convido-vos a mergulhar na alegria do Evangelho e a alimentar um amor capaz de iluminar a vossa vocação e missão, finaliza a mensagem papal.

Victória Holzbach
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: