Arcebispo

DOM RODOLFO LUÍS WEBER - ARCEBISPO METROPOLITANO

Dom Rodolfo Luís Weber nasceu em Bom Princípio/RS, em 30 de agosto de 1963.

Filho de Oscar Inácio e Olga Luísa Weber, é o sexto de uma família de dez irmãos. Ingressou em 1976 no Seminário Menor São João Vianney. Foi ordenado diácono em 17 de junho de 1990 e presbítero no dia 05 de janeiro de 1991.

Seus estudos fundamentais, secundários e o propedêutico foram concluídos em sua cidade natal, no Seminário de São José. Estudou Filosofia entre os anos de 1983 e 1985, na Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (FAFIMC), em Viamão (RS).

Já a Teologia foi concluída na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre. Dom Rodolfo tem Pós-graduação em Psicopedagogia e mestrado em Filosofia, respectivamente, pela FAFIMC e pela Universidade Gregoriana de Roma.

No dia 25 de fevereiro de 2009 foi nomeado bispo da Prelazia de Cristalândia no Tocantins. Foi ordenado bispo no dia 15 de maio de 2009 na Catedral Metropolitana de Porto Alegre, por Dom Dadeus Grings. Escolheu como lema de vida episcopal: Ide e Evangelizai.

Tomou posse como Bispo Prelado de Cristalândia no dia 31 de maio de 2009 e no dia 02 de dezembro de 2015 foi nomeado pelo Papa Francisco como Arcebispo de Passo Fundo. No dia 24 de janeiro de 2016 tomou posse na Arquidiocese em Celebração na Catedral Metropolitana.

Nascimento: 30/08/1963

Ordenação Presbiteral: 05/01/1991

Consagração Episcopal: 15/05/2009

Lema Episcopal: Ide e Evangelizai

Significado do Brasão de Dom Rodolfo

O brasão de dom Rodolfo Weber traz em destaque a cruz, mistério de vida e morte. A cruz tornou-se para a Igreja “árvore da vida”. Por isso anunciamos que a vida venceu a morte.

A Bíblia, segundo símbolo do brasão, lembra a missão primordial de pregar o Evangelho que suscita fé e adesão ao projeto do Reino de Deus.

Junto a Cruz e a Bíblia vemos o báculo, símbolo do serviço pastoral de um bispo ou arcebispo. Um serviço que tem como exemplo Jesus Cristo, o Bom Pastor, que veio “não para ser servido, mas para servir” e dar a vida pelas ovelhas. Logo abaixo, aparece o caminho, que se prolonga num horizonte sem fim e indica os mais diferentes espaços geográficos, culturais e históricos onde a Boa Nova deve ser proclamada. O caminho é iluminado pelo Espírito Santo.