Dom Rodolfo Weber integra nova presidência do Regional Sul 3 da CNBB

O episcopado gaúcho elegeu, na tarde desta quinta-feira, 09, a nova presidência do Regional Sul 3 da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB). Dom José Gislon, bispo de Erexim, foi eleito o novo presidente e, ao lado dele, Dom Rodolfo Luís Weber, arcebispo de Passo Fundo, irá atuar como vice-presidente e Dom Adilson Pedro Busin, bispo auxiliar de Porto Alegre, como secretário. A eleição foi realizada durante a 57ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP).

Nova missão
Com a nova missão a ser exercida, dom Rodolfo Weber destaca a responsabilidade e, também, as atividades a serem exercidas durante o mandato. "A nossa tarefa essencial é, de uma forma geral, coordenar a CNBB Sul 3 e todo o trabalho de evangelização no Rio Grande do Sul", inicia. "A proposta é que sejamos um um elo de comunhão e, dessa forma, possamos realizar, no estado, o que a CNBB faz em nível nacional. Também, é nossa prioridade coordenar e agregar os bispos do Rio Grande do Sul e representá-los no Conselho Permanente - órgão permanente da CNBB que se reúne três vezes ao ano e se responsabiliza por discutir problemáticas que surgem entre uma Assmbleia Geral e outra e, também, para sugerir e encaminhar soluções", comenta. 

Sobre a CNBB, dom Rodolfo destaca que a sua missão está intimamente ligada à congregar e promover a comunhão: "A CNBB fomenta a união entre os bispos brasileiros, com os bispos do mundo inteiro e o Papa Francisco. Ajuda cada bispo a concretizar em sua diocese as grandes orientações doutrinais, pastorais e legais da Igreja. É uma instância propícia de formação e assessoramento de cada bispo", complementa e enfatiza, ainda, que a evangelização - coordenada pela CNBB - acontece a todo o momento e deve priorizar a realidade atual. "A missão evangelizadora é realizada num contexto histórico concreto. Cada época tem as suas alegrias e suas tristezas, suas esperanças e angústias, seus progressos e seus recuos. Jesus Cristo deixou bem claro que não queria que seus seguidores formassem guetos na sociedade, grupos fechados e indiferentes com os acontecimentos próximos e distantes. Não queria que fossem do mundo, isto é, reproduzissem o que é mau, que gerasse morte, mas fossem sal da terra e luz do mundo gerando vida em abundância", completa.

Nacional
Além das eleições dos regionais, a Assembleia dos Bispos acolheu, também, a eleição do arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor de Oliveira Azevedo, como presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Como manda o Estatuto da CNBB, o até então presidente Cardeal sergio da Rocha perguntou a dom Walmor se aceita ser presidente. “Aceito com humildade, aceito com temor e aceito à luz da fe”, foram as primeiras  palavras que ele dirigiu à plenária da 57ª. Só à luz da fé, segundo dom Walmor, será possível recuperar a força da colegialidade da Igreja no Brasil a partir de uma escuta muito profunda dos irmãos e do povo de Deus. Ele pediu a Deus que não falte sabedoria para assumir este serviço.

Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: