“Cristo é o altar”: Capela da Casa de Retiros celebra a Dedicação do Altar

Em 1957, a então Diocese de Passo Fundo inaugurava o primeiro prédio da Casa de Retiros – projeto sonhado pelo bispo dom Cláudio Colling. Junto com a Casa, um espaço celebrativo e voltado para o fortalecimento da espiritualidade – a Capela – ganhou vida e passou a fazer parte da vida comunidade. Hoje, mais de 60 anos depois, o espaço passou por uma intensa reforma – externa e interna – e ganhou um novo altar: a Celebração de Dedicação do Altar, presidida pelo arcebispo, dom Rodolfo Luís Weber, no dia 26 de março, envolveu o Clero da Arquidiocese e, também, a comunidade – pertencente à Catedral Metropolitana de Passo Fundo – que, semanalmente, celebra e participa da Eucaristia.

Altar: caminho para Cristo
Durante a Celebração, dom Rodolfo conduziu o rito de Dedicação do Altar e explicou à comunidade cada simbologia realizada. Logo no início da celebração, a comunidade acompanhou a bênção da água que, depois, foi aspergida nas paredes da Capela e, também, na própria comunidade. Também foi realizada a bênção do Livro da Palavra do Senhor e, por fim, a bênção, unção com Santos Óleos, as orações dirigidas ao Pai através do incenso, o acendimento das velas e a preparação do altar para o Rito Eucarístico.

Em sua fala, durante a homilia, dom Rodolfo destacou, através do texto de Ritual de Dedicação do Altar, a natureza do altar – sempre voltado para Cristo. “Cristo é o verdadeiro altar e seus discípulos são também altares espirituais, em que se oferece ao Deus vivo o sacrifício de sua vida santa. O altar é sinal de Cristo. Em todas as igrejas, o altar é o centro da Ação de Graças. O altar é Cristo e, por isso, deve ser um espaço único de apontar para Cristo”, enfatizou.

Espaço sagrado e histórico
Dom Rodolfo também destaca a importância do espaço da Casa de Retiros e da Capela como fonte de formação e espiritualidade. “A Casa de Retiros da Arquidiocese foi pensada em ser um espaço privilegiado de formação de laicato. Assim como temos o Seminário – lugar próprio de formação para padres -, a Casa de Retiros tem por finalidade ajudar os leigos tanto na parte formativa, quanto na formação espiritual”, inicia. “A formação do conhecimento vem junto com a formação espiritual. Por isso, é preciso ter um espaço adequado. O centro da Casa de Retiros, o coração desta Casa, é a Capela. É ao redor do Cristo Eucarístico que as pessoas se reúnem pra fortalecer a fé”, complementou.

Para o arcebispo, manter o espaço é uma forma de respeitar a história. “Conservar, atualizar, reformar, manter é uma forma de respeito ao passado e às pessoas que se empenharam para construir e manter a Casa neste período. Também é um espaço de projetar o futuro: somente cuidando dos cristãos, teremos força e saúde para testemunhar o Cristo nesse mundo – nossa grande esperança e nosso grande caminho. Por isso, esse espaço é tão importante para a Arquidiocese de Passo Fundo e para toda a Igreja”, completou.

A reforma
Coordenada pela arquiteta Maria Inês Bolson Lunardini – membro integrante da Equipe de Reflexão do Setor de Espaço Litúrgico da Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia da CNBB – a reforma da Capela envolveu aspectos internos e externos. Além dos aspectos de limpeza, restauração e pintura, a fiação elétrica foi trocada e foi realizado, ainda, um trabalho de drenagem no entorno do prédio, buscando controlar a umidade. A iluminação interna foi reformulada, pensando em destacar o altar – centro de qualquer celebração. Por fim, as pinturas artísticas – do sacrário e das paredes – foram realizadas pelo artista Getúlio do Amaral. O mármore branco Moura foi a escolha para o novo altar e ambão.

Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: