Aparecida: sinal de Deus em meio ao povo

Pescadores, em São Domingos do Sul, encontram imagem de Nossa Senhora Aparecida

“Tão pequena e tão amada”. É assim que a música “Aparecida, sou Romeiro”, do padre Ezequiel Dal Pozzo, fala da imagem de Nossa Senhora Aparecida. E é assim que, no ano em que se comemora os 300 anos do seu encontro com os pescadores no Rio Paraíba, a cidade de São Domingos do Sul, na Arquidiocese de Passo Fundo, revive este sinal: na última semana, os moradores da cidade - Jaime Castelani, Diego Klaus e Olvide Bassani - encontraram, em meio à uma pesca, uma pequena imagem de Nossa Senhora Aparecida. “A forma como ela foi encontrada deve nos provocar a algo maior. Para nós, cristãos, a imagem não para em si, mas nos conduz a outro lugar: a Jesus”, comenta o pároco da paróquia São Domingos, Claudir Pressi.

“Tão linda”
Foi na sexta-feira, 6, pela manhã que os três homens lançaram cerca de oito redes no Rio São Domingos. Apenas uma delas voltou carregada com 20 quilos de peixes e uma pequena imagem de Nossa Senhora Aparecida. “É muita alegria dizer que fomos felizardos de encontrar essa imagem. Tinhamos lançado as redes e quando estávamos recolhendo, vi uma coisa vermelha debaixo da água. Quando puxei, vi que era a imagem de Nossa Senhora. Perfeita, com uma florzinha nas costas. Tão linda. Da onde veio? Será que alguém jogou no rio?”, se questiona Olvide Bassani. “O que nos chamou a atenção é que só tinha peixes nessa rede”, comenta

 

Sinal de Deus
Para o pároco, o fato pode ser considerado um sinal da presença de Deus. “Temos certeza que Deus continua enviando sinais. Aqui, temos o nosso Servo de Deus, o Monsenhor João Benvegnú e, além disso, estamos nos 300 anos de Aparecida. Num momento tão confuso no mundo e no Brasil, nós buscamos viver a Igreja em Saída, a convite do papa Francisco”, inicia. “Já celebramos mais de 30 missas nas casas e sempre com a presença da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Os pescadores a encontraram novamente. E ela será ainda mais amada. Que esse sinal nos ajude a vivermos as cosias de Deus e a vivermos anossa missão. A ideia que se tem hoje é de que as pessoas não precisam de Deus. E, ainda assim, Deus se manifesta de uma forma tão singela em uma imagem tão pequena de Nossa Senhora Aparecida”, conclui.

A imagem ficará em uma capelinha que será construída junto ao jazigo do Monsenhor João Benvegnú.

Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: 
Tags: