Mostra de Ações Sociais Solidárias: grupos à espera da Romaria

"Eu costumo dizer que quem compra o nosso biscoito, não compra apenas um biscoito. Compra um projeto de vida". É assim que Marizete Garbin - proprietária, ao lado do marido, Elmo Garbin, de uma agroindústria familiar que produz biscoitos - resume o seu trabalho. Integrante do Espaço Solidário, que funciona junto à Cáritas Arquidiocesana, a Biscoitos Garbin atua, desde sempre, dentro da lógica da economia solidária. Agora, Marizete se prepara, junto com cerca de 70 outros grupos - empreendimentos solidários, associações, cooperativas e obras sociais -, para vivenciar, no dia 8 de outubro, durante a Romaria de Nossa Senhora Aparecida, a 4ª Mostra de Ações Sociais Solidárias. "Essa é uma ação que ajuda no nosso crescimento enquanto grupo porque nos fortalece", resume. 

Solidariedade
Marizete, ao lado de outras mulheres, deu início ao Espaço Solidário, ainda em 2007. "Queríamos uma maneira de agregar mais grupos que movimentasse e ajudasse a gerar renda não apenas para nós", lembra. Desde então, o Espaço abriga grupos que se revezam no atendimento à comunidade de segunda-feira a sábado e oferecem não apenas produtos alimentícios, mas, também, artesanato. "Um grupo ajuda o outro. As pessoas nem sempre entendem, mas, quando trabalhamos com economia solidária, eu não fico preocupada apenas com o meu produto. E o legal da Mostra é isso: a solidariedade entre os grupos", coloca. Para Marizete, que participa desde a primeira edição da iniciativa, promovida pela Cáritas, o diferencial é, justamente, este espírito de coletividade. "A Mostra é uma troca de experiências.Você conhece pessoas diferentes e sempre aparece uma ou outra coisa diferente. A gente consegue trocar experiência tanto no artesanato, quanto na alimentação", comenta. "Pensamos sempre no coletivo, nunca no individual", conclui. 

Quatro edições
Como aconteceu nos últimos anos, a Mostra faz parte da programação Romaria Arquidiocesana de Nossa Senhora Aparecida e não se constitui em um evento paralelo, mas busca, assim, comungar da espiritualidade inerente à Romaria. "Acima de tudo, cada um de nós também é um romeiro", destacou o padre Ladir Casagrande - pároco da paróquia Santo Antônio, em Passo Fundo, e coordenador geral da Cáritas Arquidiocesana - durante a última reunião de preparação da Mostra de Ações Sociais Solidárias, na quinta-feira, 28 de setembro. "Vamos à Romaria por causa de nossa fé e, acima de tudo, para, como disse Nossa Senhora, fazer tudo o que Ele disser. Maria nos orienta nesse sentido e é nossa companheira no caminho", complementou e enfatizou: "Nossa Mostra não é uma feira e nem uma exposição. É para mostrar as Ações Sociais Solidárias da Igreja, mostrar este rosto da Arquidiocese", concluiu. 

Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: