“Sede Misericordiosos”: Arquidiocese acolhe novo padre no domingo

Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso”. Retirado do sexto capítulo do Evangelho de Lucas, o lema escolhido pelo diácono Tiago André Guimarães para orientar a sua caminhada vocacional na Igreja é, também, uma proposta concreta de vivência missionária: o jovem, que está atuando na paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Carazinho, será ordenado padre neste domingo, 30 de julho, – na paróquia Nossa Senhora da Glória, às 15h - e busca, a cada novo passo, fortalecer a ligação e a intimidade com o lema escolhido.

Vocação que nasce no seio familiar
A vocação, para Tiago, nasceu em meio à família. Através de trechos bíblicos contados e lidas, o jovem aprendeu não apenas as histórias, mas, também, a admirá-las e, logo, a usá-las como exemplo em sua vida de fé. “Sou fruto da experiência de fé, principalmente do seio familiar”, define. E foi, justamente, essa experiência que possibilitou que a vocação surgisse de forma natural e fosse experimentada na vivência, como diácono, junto às comunidades. “Neste tempo em que pude viver de forma intensa o ministério diaconal na vida paroquial, experimentei a vida e a fé que brota no dia-a-dia de nossas comunidades. Essa experiência foi de fundamental importância para mim e também para a cidade de Carazinho, pois muitas comunidades não conheciam o sentido do exercício do ministério diaconal”, comenta.

O verdadeiro servir
O jovem, que pouco a pouco se insere na vida eclesial, busca aprender com as lideranças o sentido do verdadeiro servir. “Muitas lideranças me ensinam o sentido da profunda doação sem reserva e a verdadeira espiritualidade da vida comunitária, mesmo diante tantos desafios e limites”, inicia e acrescenta, ainda, que as vivências da vida diaconal possibilitaram viver um caminho de intimidade com Deus. “A vivência do ministério diaconal perante a intensa vida das comunidades me fortaleceu a perceber que a força do Evangelho está no compromisso de sermos humildes e de realmente estar de coração aberto para o serviço junto aos desafios, limites e dons das relações que estabelecemos com as pessoas e com o mundo”.

Preparação e ansiedade
Agora, diante de todo o trabalho já realizado, Tiago se prepara para vivenciar, com o lema escolhido a ordenação sacerdotal. “Tenho consciência que a vocação presbiteral é um dom que não depende apenas de mim, mas também da graça de Deus que a impulsiona e exerce a sua unção. Neste tempo de preparação e de ansiedade, um dos principais sentimentos é de fortalecer a intimidade com o lema na qual abracei para a minha vida. Encontrar na intimidade com o Senhor o espelho de viver a misericórdia até suas últimas consequências”, coloca e destaca, ainda, que o apoio que recebe da família e das comunidades é estimulante e grande fonte de motivação.  “Essa animação que parte das comunidades e de tantos, reflete o desejo de poder celebrar o ministério sacerdotal como dom na vida da Igreja e da sociedade”.

Coração sensível
Além da preparação e da expectativa, Tiago pensa, também, no seu papel enquanto presbítero. “O meu desejo de ser padre se reflete no lema que escolhi: ser misericordioso como o Pai - que é ter um coração sensível às pessoas, principalmente às mais pobres. É ter a certeza que a vocação sacerdotal não é minha, mas é do Pai que concede pela sua graça”, comenta e destaca: “A centralidade da ação evangelizadora não está no ministério sacerdotal do Tiago, mas no mistério revelado de Deus. Que em cada gesto, desafio, sacramento celebrado que eu possa ser sinal desse Deus que é Pai misericordioso”, conclui. 

Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: