Arcebispo de Passo Fundo preside sepultamento em Jacutinga

Dom Rodolfo Luís Webber, arcebispo de Passo Fundo, presidiu a Celebração de Corpo Presente presente do padre Adroaldo Ciapparini, que faleceu na madrugada de terça-feira, 22, em decorrência das complicações de um câncer. A missa, que aconteceu  durante a tarde desta terça, na paróquia Santo Antônio, em Jacutinga, foi celebrada pelo clero da Arquidiocese e da Diocese de Erexim e, também, pelo arcebispo emérito de Passo Fundo, dom Ercílio Simon. Ainda, representantes da conferência vicentina e delegações de diversas paróquias nas quais ele atuou participaram da celebração, preparada pelo pároco, padre Valdemir Debastiani e pelo vigário paroquial, padre Luiz Warken.

Ao falar aos fiéis, dom Rodolfo caracterizou o momento de velório e sepultamento como oportunidade de renovação da fé na ressurreição e da esperança na vida eterna. Para ele, a celebração de exéquias é oportunidade de gratidão a Deus pela vida de quem parte. "A vida é dom de Deus e a pessoa se torna dom para os outros. Pe. Adroaldo foi presente para a própria família e para a Igreja, assumindo o ministério presbiteral, a serviço dos irmãos em várias paróquias e na Cúria de Passo Fundo. Muitas pessoas foram agraciadas com seu ministério pela celebração do batismo, da confissão, do matrimônio, da Santa Missa, da assistência aos enfermos, da pregação da Palavra", comentou e destacou, ainda, que o momento é de solidariedade de todos com os familiares. "A família perde um irmão, um cunhado, um tio. Na solidariedade, vivemos uma das obras de misericórdia que é dar sepultura digna a quem falece. Fazendo-o, reforçamos os laços humanos. São os que permanecem" concluiu o arcebispo que lembrou, por fim, a solenidade de Cristo Rei, celebrada no último domingo, 20, onde Jesus garante o perdão.

Sobre o padre Adroaldo Ciapparini
Era o primeiro dos nove filhos de Pedro Ciapparini e Tereza Marin Ciapparini. Pedro residiu em Sertão e Getúlio Vargas, onde casou com Tereza. Logo após o casamento, passaram a residir em Jacutinga. Ele trabalhou como serrador, agricultor, comerciante. Tereza sempre se ocupou dos afazeres do lar. Adroaldo nasceu no dia 21 de junho de 1942. Fez seus estudos seminarísticos em Tapera, Erechim e Viamão. Foi ordenado padre no dia 12 de julho de 1968, em Jacutinga, por Dom Cláudio Colling, então Bispo de Passo Fundo, Diocese a que pertencia toda região da atual Diocese de Erexim. O novo padre escolheu como lema: “Eis-me aqui, disse eu, envia-me”, tirado da profecia de Isaías, 6,8. Trabalhou nas paróquias Nossa Senhora da Glória, em Carazinho, São Luiz Gonzaga, em Casca, Nossa Senhora de Fátima, em Passo Fundo, Nossa Senhora da Saúde, em Tapejara e em Vila Maria, Nossa Senhora do Rosário da Pompeia, em Tapera, São Judas Tadeu, em Passo Fundo e, por fim, São José de Montauri. O padre, que estava em tratamento para câncer na garganta, estava internado no Hospital São Vicente de Paulo. Seu corpo foi velado na paróquia Santo Antonio de Jacutinga, onde foi celebrada a missa de corpo presente e foi sepultado no cemitério local.

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br
Colaboração: Padre Antônio Valentini Neto | Diocese de Erexim

Categoria: