Artigos Semanais de Dom Rodolfo Luís Weber

O arcebispo metropolitano de Passo Fundo, dom Rodolfo Luis Weber, escreve semanalmente artigos de opinião sobre temas diversos e latentes em nossa sociedade.

Confira a seguir o texto dessa semana e, abaixo, os artigos anteriores. 

No final desta página você também pode ouvir o áudio com a mensagem de dom Rodolfo.

Da Cruz à Ressurreição

O Tríduo Pascal é o ponto culminante de todo o ano litúrgico, por fazer memória da paixão, morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele realizou a redenção do ser humano e a perfeita glorificação de Deus principalmente através do mistério pascal, com o qual, morrendo destruiu a nossa morte e, ressuscitando, restaurou a vida. O foco central está em apontar na vitória da vida sobre a morte e o mal. A Páscoa, a passagem acontece pela cruz e o sofrimento. Portanto, não se pode falar de Páscoa ignorando a cruz. Como entender a cruz de Cristo?

São Paulo é o autor do Novo Testamento que mais elaborou e aprofundou uma verdadeira e própria teologia da cruz. Quando São Paulo fala da cruz, fala sempre do Crucificado, de Cristo. Sublinha que Jesus não foi simplesmente morto, mas morreu crucificado. Na carta aos Gálatas 5,11, fala do “escândalo da cruz”, sem se preocupar em destacar os sofrimentos e humilhações sofridas. “Dizer que o Messias e Salvador morreu crucificado significa afirmar que morreu na vergonha, na infâmia, como amaldiçoado por Deus, excomungado de seu grupo religioso, considerado perigoso para a sociedade civil” (Manicardi, L. O Humano sofrer, Ed. CNBB, p.140).

Paulo também afirma que a cruz é loucura, sempre se entende a cruz por Crucificado. Dá à loucura um sentido positivo. Se humanamente a cruz é loucura, mesmo assim é superior à sabedoria humana e do mundo que tem dificuldade de compreender o agir de Deus e seus ensinamentos. A cruz contesta a racionalidade humana e uma religião que se nutre de sinais, milagres, da busca do extraordinário. Paulo convida os cristãos a encontrar na própria cruz, que humanamente exprime fragilidade e loucura, o poder da sabedoria divina.

Portanto, São Paulo não destaca nada de bom da cruz em si. Quando fala dela faz um anúncio do Crucificado e da ressurreição que estão conexas. A força de Deus que se manifesta na cruz de Cristo, é a força de salvação, pois fortalece a vida no fiel. Muitas vezes, o fiel denomina os próprios sofrimentos como cruzes, desse modo eles são unidos ao Crucificado, vê agir nele também a força do amor mais forte que a morte, a força da ressurreição. A cruz é então verdadeiramente capaz de fazer conhecer a Deus.

A cruz e o sofrimento de Cristo nos reportam aos nossos sofrimentos. Existe uma expressão “oferecer a Deus o sofrimento” que é frequentemente usada. Será que isto faz sentido? Um paciente com uma doença crônica grave disse: “Não se oferece nada de negativo”. Não é a cruz e não são os sofrimentos que tornaram Jesus grande, mas é exatamente o contrário: é a vida de Jesus atravessada pelo amor, pela doação que deu também sentido a morte de cruz. Cristo não ofereceu seus sofrimentos, mas se ofereceu a si mesmo, fez de sua vida uma oferta.

Oferecer a Deus o sofrimento deve ser entendido como viver de acordo com o Evangelho e na proximidade de Deus as situações de sofrimento. Fazer da doença e do sofrimento um caminho em que se conhece algo da proximidade e da consolação de Deus. Continuar, embora com todas as dificuldades e contratempos, nutrindo a fé, esperança e caridade também na provação. Na verdade, nós não oferecemos a Deus os nossos sofrimentos, mas aquilo que fizemos dele. Oferecemos a nós inteiros -corpo, alma e espírito – pois o corpo é o livro do tempo no qual estão escritas as emoções, sofrimentos e experiências vividas, que estão dentro de nós.

Um Feliz e Abençoada Páscoa!

Dom Rodolfo Luís Weber
Arcebispo de Passo Fundo
18 de abril de 2019

Artigos Anteriores:
CASA COMUM, NOSSA RESPONSABILIDADE - 12 de fevereiro de 2016

EU CUIDO, TU CUIDAS, NÓS CUIDAMOS, ELES CUIDAM DA CASA COMUM - 19 de fevereiro de 2016

VAMOS OLHAR A NOSSA CASA COMUM - 26 de fevereiro

A FÉ ME FAZ CUIDAR DA CASA COMUM - 04 de março

ESCOLHA A VIDA - 11 de março

VIVER A CAMPANHA DA FRATERNIDADE - 18 de março

O MISTÉRIO PASCAL - 25 de março

EM TEMPOS DE CRISE - 1º de abril

54ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB - 8 de abril

CRISTÃOS LEIGOS: SAL DA TERRA E LUZ DO MUNDO - 15 de abril

O USO DO NOME DE DEUS - 22 de abril

A DIGNIDADE DO TRABALHO HUMANO - 29 de abril

MÃE - 06 de maio

É TEMPO DE ENTENDIMENTO - 13 de maio

PADRE EDUARDO PEGORARO, DESCANSE EM PAZ! - 20 de maio

VIVER COM ARTE - 27 de maio

ESTUPRAR É VIOLAR A DIGNIDADE HUMANA - 03 de junho

EU ERA MIGRANTE E ME ACOLHESTE - 10 de junho

CONSTRUIR A CIVILIZAÇÃO DO AMOR - 17 de junho

COMUNICAR BOAS NOTICIAS - 24 de junho

PAPA FRANCISCO - 1º de julho

OLIMPIADAS E O COTIDIANO - 08 de julho

NO TRANSITO - 15 de julho

TRABALHADOR RURAL - 22 de julho

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE - 29 DE JULHO

A VIDA É VOCAÇÃO - 05 DE AGOSTO

LEMBRANÇAS DO PAI - 12 DE AGOSTO

ELEIÇÕES MUNICIPAIS - 19 DE AGOSTO

MUNICÍPIO: LUGAR DE CONVIVÊNCIA FRATERNA

PÁTRIA AMADA, BRASIL! - 02 DE SETEMBRO

A PALAVRA - 09 DE SETEMBRO

SEMANA FARROUPILHA - 16 DE SETEMBRO

PRIMAVERA: A VIDA QUE RENASCE - 23 DE SETEMBRO

PASTORAL CARCERÁRIA - 30 DE SETEMBRO

36ª ROMARIA DE NOSSA SENHORA APARECIDA - 07 DE OUTUBRO

HOMENAGEM AO PROFESSOR - 14 DE OUTUBRO

ROMARIA - 21 DE OUTUBRO

FINADOS - 28 DE OUTUBRO

CREMAÇÃO E CONSERVAÇÃO DAS CINZAS - 4 DE NOVEMBRO

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA - 11 DE NOVEMBRO

JUBILEU DA MISERICÓRDIA - 18 DE NOVEMBRO

O NATAL E SEUS SÍMBOLOS - 25 DE NOVEMBRO

O NATAL E SEUS SÍMBOLOS II - 02 DE DEZEMBRO

O NATAL E SEUS SÍMBOLOS III - 09 DE DEZEMBRO

O NATAL E SEUS SÍMBOLOS IV - 16 DE DEZEMBRO

A NÃO VIOLÊNCIA - 06 DE JANEIRO

PRISÕES - 13 DE JANEIRO

VALORES - 20 DE JANEIRO

QUAIS SÃO MEUS VALORES - 27 DE JANEIRO

TER O VALOR DE CALAR E DE FALAR - 03 DE FEVEREIRO

TER O VALOR DE SER JUSTO - 10 DE FEVEREIRO

A DESTINAÇÃO UNIVERSAL DOS BENS - 17 DE FEVEREIRO

40ª ROMARIA DA TERRA - 24 DE FEVEREIRO

QUARESMA: TEMPO PARA SAIR DA ROTINA - 03 DE MARÇO

FRATERNIDADE: BIOMAS E DEFESA DA VIDA - 10 DE MARÇO

NOSSOS BIOMAS GAÚCHOS - 17 DE MARÇO

CULTIVAR E GUARDAR A CRIAÇÃO - 24 DE MARÇO

CONVERSÃO ECOLÓGICA - 31 DE MARÇO

CARNE FRACA E SEMANA SANTA - 07 DE ABRIL

SEMANA DOS POVOS INDÍGENAS - 14 DE ABRIL

TRABALHO: CHAVE DA QUESTÃO SOCIAL - 27 DE ABRIL

CNBB - 05 DE MAIO

DIA DAS MÃES - 12 DE MAIO

"A VERDADE VOS TORNARÁ LIVRES"

"A GENTE DÁ UM JEITO" - 02 DE JUNHO

CORPUS CHRISTI - 09 DE JUNHO

BELOS TAPETES E BELOS GESTOS DE SOLIDARIEDADE - 16 DE JUNHO

SEMANA DO MIGRANTE - 23 DE JUNHO

O PAPA - 30 DE JUNHO

VIVER O PRESENTE - 07 DE JULHO

SEMEAR PARA COLHER - 14 DE JULHO

O TRIGO E O JOIO - 21 DE JULHO

DIA DOS AVÓS - 28 DE JULHO

SER PADRE - 04 DE AGOSTO

SER PAI - 11 DE AGOSTO

SER RELIGIOSA (O) - 18 DE AGOSTO

MINISTÉRIOS E SERVIÇOS DOS LEIGOS NA IGREJA - 25 DE AGOSTO

SEMANA DA PÁTRIA - 01.09

O GRITO - 08.09

O NEGRINHO DO PASTOREIO - 15.09

LÂMPADA PARA OS MEUS PÉS - 22.09

AGENDA NACIONAL PELO DESENCARCERAMENTO - 29.09